quinta-feira, 8 de agosto de 2013

[Resenha] Rick Riordan - O Mar de Monstros: Graphic Novel

30, 31, 75, 12.
__________________________________________________________________________________________

Sempre soube que resenhar por escrito HQ’s, mangás, quadrinhos – artes visuais, no geral – seria um desafio memorável. Coloco-me no dever, com mais de dois anos de blog, de transmitir mais que o máximo possível daquilo que experienciei a você, leitor(a). Acredite, nunca foi fácil. Mas eis que a graphic novel de “O Mar de Monstros”, continuação de O Ladrão de Raios e o segundo volume da série Percy Jackson e os Olimpianos de Rick Riordan, ascendeu uma vontade inabalável de lê-la o quanto antes. Isso foi graças a nossa parceira Intrínseca, que cedeu o exemplar-base desta resenha. Com o longa homônimo se aproximando da estreia, concluiu-se como a ferramenta indispensável para relembrar o enredo elaborado.




Percy Jackson teve um ano surpreendentemente calmo. Nenhum monstro colocou os pés no campus de sua escola, nenhum acidente esquisito, nenhuma briga em sala de aula. Mas quando um inocente jogo de queimado entre ele e seus colegas torna-se uma disputa mortal contra uma tenebrosa gangue de gigantes canibais, as coisas ficam, digamos, feias. E a inesperada chegada de sua amiga Annabeth traz outras más notícias: as fronteiras mágicas do Acampamento Meio-Sangue foram envenenadas por um inimigo misterioso, e, a menos que um antídoto seja encontrado, o único porto seguro dos semideuses será destruído.

Fonte: Leitor Cabuloso





Não sei o quanto Rick se envolve com as adaptações de suas obras em novelas gráficas – tradução, por que tão limitada? -, porém todas tiveram um resultado positivo. Condensar sua trama de 304 páginas, com ações e reações que se sobrepõem da maneira dinâmica que só ele pode narrar, sem perder grande parte da essência do texto – pois toda versão carregará suas perdas – é um feito admirável de Robert Venditti. O adaptador pontuou as cenas certas a serem desenhadas, com diálogos transpirando as personalidades de seus respectivos falantes e uma linha objetiva cortada no momento oportuno, tal qual ocorre no último momento do livro.

A arte de Attila Futaki diferencia-se um tanto da graphic anterior, apesar de contarmos um ano de crescimento de Percy e dos semideuses ao seu redor. Reparei em um desvio nos traços de ambas as adaptações, até mesmo entre alguns quadros apenas dentro desse volume, todavia não prejudica a leitura ou mesmo desmerece o que foi realizado. Impressionei-me com o trato dado às criaturas mitológicas; designs tão bem detalhados que sustentam a opinião de tantos fãs preterem o polêmico filme de 2010 às graphic novels.


Fonte: Sobre Sagas
As cores aplicadas por Tamás Gaspar saltam aos olhos, complementando o trabalho de Attila de modo tão importante quanto. Há profundidamente nas paisagens, delineamentos que reconheceríamos em quadros prestigiados, detalhes que, ao meu ver, não só profissionais aplicariam, contudo apreciadores do texto, pessoas que reconheceram um enredo especial e cuidaram dele antes que chegasse às nossas mãos. É a experiência inestimável de ver o que foi imaginado entre viradas de páginas e apreciado do começo ao fim de um jeito genuíno e fiel ao original.


A excelente diagramação da editora é corroborada durante todo o folhear, com uma capa de tirar o fôlego, um suave dedilhar e páginas para “respirar” entre determinados trechos com esboços quase minimalistas, o que rendeu um charme clássico que acabamos sentindo falta nas leituras corridas do dia-a-dia. Uma obra de arte com a história extasiante que você já conhece e que é indispensável à coleção de todo semideus e leitor que aprecie trabalhos visuais dignos dos deuses.

Título: O Mar de Monstros: Graphic Novel.
Texto original: Rick Riordan.
Editora: Intrínseca.
Adaptação, arte e cores: Robert Venditti, Attila Futtaki e Tamás Gaspár; respectivamente.
Tratamento de imagem: ô de casa.

6 comentários:

  1. O-i! Cá estou de novo!
    Eu li a primeira Graphic e achei muito boa, mas nunca fui crítica com HQs porque nunca gostei muito delas! kkkkkkkkkkk, li de PJO quase que me sentindo na obrigação, rs. Mas gostei, pelo menos! Fico feliz que a de Mar de Monstros seja boa também e melhor, pelo que me pareceu xD
    Sou péssima pra falar disso, porque realmente não é minha praia, rs. A capa é mesmo um show a parte, incrível *-*


    Beijos, Nanda!

    ResponderExcluir
  2. Imagina o terror que é pra resenhar, então? xD Como falei, foi um desafio de verdade escrever sobre algo com descrições tão dispersas, mas fiz o melhor que pude :\ Fico tão feliz de ver você e Gabi lendo PJ \o/ Pelo menos nessa vcs não vão me passar... Pelo menos não tão cedo, é livro pra caramba (apesar de que vcs são máquinas de leitura, o-oh), hahahaha. Obrigado pelo comentário, pessoa, um bjo!

    ResponderExcluir
  3. Thaynan Lira Galhardo9 de agosto de 2013 13:15

    Nossa!! Como você escreve bem!! Nunca tinha me interessado a comprar um Graphic, mas depois dessa resenha, com certeza vou atrás.

    Parabéns pelo ótimo trabalho.

    ResponderExcluir
  4. Poxa, obrigado, Thaynan! Fico feliz com seu comentário e sua vontade de ler uma graphic agora, espero que sua leitura seja ótima! Volte sempre :)

    ResponderExcluir
  5. Eu sinceramente nunca me interessei muito em ler HQs, mas eu adorei muito sua resenha e fiquei curiosa pra ler um dia *-*

    xx Carol

    http://hangoverat16.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oiee ^^
    Já li a graphic novel de O ladrão de raios e adorei, mas confesso que "quebrou" um pouco a minha imaginação..rsrs
    Mesmo assim tenho vontade de ler a de O mar de monstros^^
    MilkMilks
    DM
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br
    http://hangoverat16.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

A sua opinião é mais do que bem-vinda aqui no blog. O único pedido é que você seja cortês ao expressá-la, evitando o uso de termos ofensivos e preconceituosos. Assim, todos poderemos manter uma discussão saudável e bastante proveitosa. Obrigado!