sábado, 9 de julho de 2011

[Resenha] Suzanne Collins - Jogos Vorazes

Sinopse: Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?


Arrebatador. É uma das poucas significâncias que eu poderia dar a este recente best-seller repleto de ação, aventura e tensão. Comprei 'Jogos Vorazes' há muito tempo numa promoção do Submarino na semana de lançamento de sua continuação, 'Em Chamas', que também comprei na mesma ocasião, cada um por R$19,90 sem frete. O livro surpreendeu-me desde às primeiras páginas, por tantos motivos e é difícil encontrar pontos negativos na obra.

O ritmo da história é impressionante, tudo acontece muito rápido, bem diferente da maioria dos livros atuais de ficção, e esse mesmo ritmo é mantido até o final, deixando o leitor num status de tensão perpétuo. Não me entenda mal, a autora conseguiu um ritmo nada lento onde os acontecimentos ocorrem num timing excelente, um fato após o outro sem muita pausa pra reflexão, e essa é a realidade dos personagens, da protagonista principalmente. São momentos de perigo um atrás do outro, sem tempo para respirar, é tudo na base da vida ou morte. Isso é bom pois sempre temos a impressão de que estamos lendo bastante, já que um número pequeno de páginas contém muitos acontecimentos. 

- Katniss, a coisa não passa de uma caçada. Você é a melhor caçadora que conheço.
- Não é só caçada. Eles estão armados. Eles usam a cabeça.

- Assim como você. E você tem mais experiência. Experiência real. Você sabe como matar.

- Não pessoas.

- E que diferença pode ter? [...]
A distopia criada de base para o enredo lembra um pouco os governos dos livros 'Destino' e 'Feios', e dá pra sacar que essa é a maior onda literária do momento. Os cenários são muito reais e você tem a nítida noção de espaço e distância quando está lendo. Os personagens são bem estruturados, cada um muito único e memorável. Tudo isso contribuiu para dar uma realidade maior ao livro.

Desde o começo, com a escrita em primeira pessoa, mantemos um vínculo muito forte com a protagonista, nós torcemos e vibramos com ela, como se estivéssemos assistindo aos Jogos Vorazes, como se fôssemos reais espectadores deste reality show horrível e desumano. Como tudo naquele lugar é sinônimo de sobrevivência, não dá pra apontar um vilão ou uma vilã de imediato, todos estão ali armando e matando por suas vidas, mas uma mudança nas regras dos Jogos pode finalmente mostrar as facetas ocultas de alguns deles.


A narrativa é impecável, a autora faz tudo parecer um filme em nossas mentes. O jeito que nos fez envolver pela história, pela triste realidade dos moradores do Distrito 12, de suas condições super-precárias de vida, ela soube escrever uma história absolutamente bem. 

No outono, umas poucas almas corajosas penetram na floresta para colher maçãs. Mas sempre numa posição visível da Campina. Sempre perto o suficiente pra correr de volta para a segurança do Distrito 12 se algum problema surgir. "Distrito 12, onde você pode morrer de fome em segurança", murmuro. Então, olho de relance por cima de meu obro. Mesmo aqui, no meio do nada, você fica preocupado de alguém estar te ouvindo.
Apesar de se tratar de um futuro e de a tecnologia estar bem adiante do que conhecemos, o livro se passa em tantos ambientes hostis que nem percebemos, poderia acontecer atualmente e não haveria tanta diferença. Todo o enredo criado ao redor dos Jogos, a história de Panem e dos distritos é muito bem trabalhado, como por exemplo nas lembranças de Katniss sobre os outros Jogos. 



O romance não é muito focado de início, mas logo percebemos - assim como Katniss - que isso a manterá a salvo dentro da arena. Forjar esse romance com Peeta é algo que ela não pode negar. e então as coisas começam a ficar confusas dentro de si, ela já não sabe quando está fingindo ou quando está falando a verdade, não se conhece a esse ponto. Ainda prefiro Gale a Peeta, mas vamos ver no próximo livro como esse 'amor' vai se desenvolver. É ótimo ler um livro que foge desse contexto dos YA (Young Adults) onde há os mocinhos bonitões e misteriosos e a protagonista é uma jovem indefesa e quase 'donzela em perigo'. Katniss é a personagem feminina mais destemida que eu já vi e Peeta é tão vulnerável quanto qualquer um, e só sobrevive muitas vezes por causa dela.

É difícil falar de um livro que gostei tanto, por isso não sei se esta resenha ficará muito legal. Gostei de Suzanne focar bastante na vida social daquele povo, o quanto eles sofrem e batalham, o quanto a Capital é injusta e cruel e o quanto ela usa os Jogos para mostrar seu poder e domínio sobre todos. A pobreza, a fome, a ilegalidade necessária, as mortes, tudo isso é muito similar com a triste e pura realidade em alguns lugares do mundo em que vivemos.

No Distrito 12, parecer velho é meio que uma realização, já que tantas pessoas morrem cedo. Você vê uma pessoa idosa e quer parabenizá-la por sua longevidade, perguntar o segredo da sobrevivência. Uma pessoa rechonchuda é invejada porque ela não está apenas sobrevivendo dia-a-dia como a maioridade de nós. Mas aqui é diferente. Rugas não são desejáveis. Uma barriga redonda não é um sinal de sucesso.
O livro pertence a uma trilogia, da qual só foi lançada ele e sua continuação, 'Em Chamas', aqui no Brasil e ainda resta o terceiro livro, 'Mockingay' (ainda sem tradução). Os direitos já foram vendidos para o cinema e o filme estreará em março do ano que vem, trazendo Jennifer Lawrence como a principal Katniss. Para quem viu X-Men: Primeira Classe, ela faz a Mística. Todo o casting já foi escolhido, e um ensaio fotográfico mostrando Jennifer no cenário da arena e com as roupas de Katniss mostrou a todos que duvidaram de sua capacidade que ela incorporou realmente a personagem.

O leitor fica sintonizado com a tensão do momento, que na verdade nunca nos deixa, pois a cada virada de página, a cada novo capítulo (aliás, o livro é dividido em 3 partes, cada uma contendo vários capítulos) somos inseridos em meio a fugas, perseguições, lutas bem detalhadas, sofrimentos para sobreviver, sacrifícios e mortes, muitas mortes. Não é nenhum livro sobre chacina, mas deve ser maduro o suficiente para lê-lo e não é para crianças. Esse andamento ininterruptamente agonizante nos faz querer mais e mais a cada frase, a cada aperto que a personagem passa, a cada morte que presenciamos.

- Você está querendo dizer que não vai matar ninguém?
- Não, quando surgir a oportunidade, tenho certeza de que vou matar como qualquer outro tributo. Não posso cair sem lutar. Só fico desejando que haja alguma maneira de... de mostrar à Capital que eles não mandam em mim. Que sou mais do que somente uma peça nos Jogos deles.

- Mas você não é. Nenhum de nós é. É assim que os Jogos funcionam.
A diagramação é ótima, um bom trabalho de design nas páginas, das artes no começo de uma nova parte ou de um novo capítulo. A capa, por mais simples que pareça, é de um incrível cuidado com o título envernizado e o broche de ouro que Katniss usa, com o tordo no centro segurando a flecha é todo em alto relevo. O exemplar não é tão grande nem tão grosso, perfeito para se levar para onde for sem deixar de lê-lo. Um ponto interessante é que ficamos nos imaginando lá dentro, no lugar deles - como será que reagiríamos a tudo aquilo? Esse pensamento pós-leitura trata-se de toda carga reflexiva que a leitura traz, sem deixar de criticar nossa sociedade e modo de vida, dando mais e mais realidade a tudo que se lê, se tornando prazerosa, divertida e impossível de abandonar.
Katniss escuta os tiros de canhão enquanto raspa o sangue do garoto do distrito 9. Na abertura dos Jogos Vorazes, a organização não recolhe os corpos dos combatentes caídos e dá tiros de canhão até o final. Cada tiro, um morto. Onze tiros no primeiro dia. Treze jovens restaram, entre eles, Katniss. Para quem os tiros de canhão serão no dia seguinte?
Suzanne Collins pode ser considerada uma das grandes autoras inovadoras da literatura atual, e é incrível o quanto ela conseguiu agregar em um só livro, tantos sentimentos e momentos inesquecíveis que só deixou um gostinho de 'quero mais'. Fazer sucesso sem o sobrenatural atualmente é uma dádiva e ela conseguiu, em um livro sem vampiros, lobisomens e anjos, só com pessoas de carne e osso, como eu e você. E enquanto eles lutam por suas vidas naquela arena, nós lutamos para virar a próxima página o mais rápido possível, atentos ao próximo tiro de canhão.
- Algum último conselho? - pergunta Peeta.
- Quando o gongo soar, deem o fora de lá. Nenhum dos dois está preparado para o banho de sangue na Cornucópia. Simplesmente sumam de lá, distanciem-se o máximo que puderem um do outro e dos outros tributos, e achem uma fonte de água - diz ele. - Entenderam?

- E depois disso? - pergunto.

- Fiquem vivos.
Título: Jogos Vorazes
Autora: Suzanne Collins

Editora:
Rocco

Número de Páginas: 397

Avaliação:
5 de 5

16 comentários:

  1. Eu estou lendo e estou amando. mt bom *-*

    ResponderExcluir
  2. Oi Caíque!

    Primeiramente, PARABÉNS PELA RESENHA! Também acho uma tarefa muito mais difícil resenhar um livro quando a gente realmente gostou da leitura! Mas você se saiu muito bem... lendo aqui o que você escreveu só me deu vontade de ler o livro de novo, perfeito. Um dos melhores que li esse ano, sem dúvidas.
    Não vejo a hora de ler "Em Chamas"! \o/

    Beijos.
    Amanda
    Lendo&Comentando

    ResponderExcluir
  3. Oi Caíque!

    Sei que a resenha de um livro é muito difícil quando gostamos muito dele. Foi assim quando resenhei esse mesmo livro. Jogos Vorazes é surpreendente, brutal e não tem medo de ser assim. Katniss é corajosa nada de Ever Bloom, Bella Swan... E o mocinho nada de Edward, Patch ou Damen. Resenha super completa, mesmo tendo sido difícil escrevê-la.

    - Matheus, Bobagens e Livros

    ResponderExcluir
  4. Caíque, amigo!
    Compreendi exatamente o que mencionou sobre ser difícil resenhar um livro que se curtiu tanto.

    No meu caso, sempre acabo achando difícil resenhar um livro que adorei por que, quando começo a ressaltar os pontos fortes e o que mais me chamou a atenção, eles saltam diante dos olhos ^^

    Estou mesmo ansiosa pra ler a série, que é tão bem comentada e, decididamente, quero ler tudo antes de ver os filmes *.*

    Beijão, amigo =**

    This Gomez
    Canto e Conto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Caíque *.*
      Amigo, cá estou eu, meses depois. Tendo terminado de ler o livro, estou acompanhando as resenhas e com o peito ainda inflamado depois de terminar a leitura. Não sei que força sobre-humana é essa que me segura pra não ir ler "Em Chamas", agora. Mas, enfim... Acho que você me entende quando digo que ficou uma sensação horrível de vazio, ao fim do livro, né?

      Adorei a tua resenha, estou sem coragem de escrever a minha ainda, e penso em reler o livro, antes disso <3 Não sei. JV me pegou de jeito, mais do que eu esperava. Parece que levei um "sacode", hehehe.

      Beijos aos dois
      =**

      This

      Excluir
  5. Nossa, todo mundo dizendo que amou esse livro... Só vi uma resenha negativa, mas ela foi justo de alguém que me convence mesmo... E também tem o problema de ser série e que eu estou tentando não comprar mais livros. '-' Sim, a capa é bem legal.

    ResponderExcluir
  6. Só li críticas positivas sobre o livro. Parece mesmo ser bem diferente do que eu imaginava. E depois bate aquela vontade de saber como são essas disputas, e tbm de descobrir (lendo) o que o livro tem de "voraz". :D
    Qdo puder, compro esse livro. Mas antes tenho que terminar de ler a série que comecei.
    Bjs ;)

    ResponderExcluir
  7. Olá, Caíque!
    Adorei a sua resenha!! Estou louca para acompanhar a série, mas ainda não li Jogos Vorazes rs. Estou com uma lista enorme de leitura, mas assim que os livros estiverem com desconto pretendo comprá-los. Só vejo ótimos comentários a respeito dele pela blogosfera.
    Bm findi.
    Bjos.

    Mariana Ribeiro
    Confissões Literárias.

    ResponderExcluir
  8. Oi , indiquei seu blog para um meme literário é só entrar nesse link. http://girlsebooks.blogspot.com/2011/07/meme-literarios.html

    ResponderExcluir
  9. Oi Caíque!
    Esse livro é muito bom!
    Lembro que quando eu comecei a ler não pude mais parar. Até comer ficou em segundo plano.rs
    Eu também sou mais fã do Peeta do que do Gale, mas como eu ainda não li "Em Chamas" acho que ainda é muito cedo para tomar partido de qualquer um dos dois.
    Ótima resenha!
    Gostei muito do blog e já estou seguindo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá Caíque,

    Adorei a resenha, parabéns. Realmente me surpreendeu o contexto do título, aquei que fosse algo comum, mas parece ser bem interessante.

    Bjs, Izabela :)

    Caderno de Resenhas

    ResponderExcluir
  11. R$19,90?? Seerio?
    Ahh como eu queria ter visto essa promo T.T
    ainda nao comprei na esperança que fique mais barato
    hauhauahah
    mas eu sei que eu PRECISO ler esse livro, como toda ctz \o

    bju
    letracomasa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. [b]Ainda prefiro Gale a Peeta[/b] OMG, preciso comentar isso. SHASHUASAUSAUHSUAHSUHAS . FINALMENTE, achei alguém. u______u
    Podem vir com as pedras, mas eu acho o Peeta um trouxa, ok?! D:

    Aliás, vc deu uma sorte danada de comprar os livros por tão pouco. D:

    Caíque, sua resenha está maravilhosa. *OOOO*
    Parabéns mesmo. Precisava comentar aqui. <3

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. acabei de ler jogos vorazes a distopia dele é como voce diz, arrebatadora. Me deixar sem ar e inclusive noites em claro como a autora de crepusculo cita, pensando, imaginado, e torcendo por todos, com certeza o melhor livro que li.

    ResponderExcluir
  15. Thaynan Lira Galhardo10 de janeiro de 2013 10:41

    Amei a resenha! Já li os três, e simplesmente sou fã incansável da trilogia. Acho que li os três em menos de uma semana, não conseguia largá-los. Preferia Gale a Peete somente no primeiro, depois meu amor por ele e Katniss só cresceu! Essa trilogia é perfeita!

    Estou indo ler as outras resenhas, deixarei meus comentários por lá também.

    Parabéns pelo blog, está incrível.

    ResponderExcluir

A sua opinião é mais do que bem-vinda aqui no blog. O único pedido é que você seja cortês ao expressá-la, evitando o uso de termos ofensivos e preconceituosos. Assim, todos poderemos manter uma discussão saudável e bastante proveitosa. Obrigado!